Venda de veículos novos cai 16,7% em fevereiro no Brasil, com crise e falta de insumos | Economia

[ad_1]

A crise e falta de insumos na indústria tiveram revérbero negativo nas vendas internas de veículos em fevereiro. De tratado com dados divulgados nesta sexta-feira pela Associação pátrio dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), o mercado de carros, comerciais leves, caminhões e ônibus caiu 16,7% em fevereiro para 167,4 milénio veículos diante de mesmo mês de 2020.

No reunido do ano, a retração foi de 14,2% no bimestre na conferência com o mesmo mês do ano pretérito. Foram licenciados 338,5 milénio veículos em todo o país.

  • Produção industrial cresce pelo 9º mês, mas desempenho é o pior desde abril

Os estoques continuam baixos. Com 98 milénio unidades, indústria e concessionárias têm volume de veículos suficiente para 18 dias de vendas.

A indústria automobilística registrou, em fevereiro, queda de 3,5% na produção, com 197 milénio veículos. No reunido do ano, no entanto, houve ligeira melhora, com subida de 0,2% para 396,7 milénio unidades.

IBGE: produção industrial avança pelo 9º mês seguido

IBGE: produção industrial avança pelo 9º mês seguido

Ao propalar os dados de desempenho do setor no primeiro bimestre, o presidente da Anfavea, Luiz Carlos Moraes, apontou a escassez de componentes que afeta o ritmo das linhas de montagem. Segundo ele, além dos semicondutores, um problema que afeta o setor em todo o mundo, as montadoras têm enfrentado escassez de outros insumos, uma vez que plásticos, borracha, pneus e aço.

Moraes queixou-se, ainda, da pressão nos custos dos fretes, marítimo e alheado, uma vez que consequência da “desorganização” logística mundial provocada pela pandemia.

“Viveremos ainda momentos de muita emoção porque não vemos a solução desses problemas no restringido prazo”, destacou.

O nível de serviço continua em queda na indústria automobilística nas comparações anuais. As montadoras de veículos fecharam fevereiro com 104,6 milénio funcionários, uma queda de 2,4% na conferência com um ano detrás.

Mas, na conferência com janeiro, houve acréscimo de vagas, puxada principalmente pela indústria de caminhões. Houve um desenvolvimento de 1,2% no quadro efetivo do setor na conferência com o mês anterior.

Indústria se recupera e contrata
Indústria se recupera e contrata

Indústria se recupera e contrata

Com 33,1 milénio unidades, as exportações de veículos registraram, no mês pretérito, o menor volume embarcado no mês de fevereiro desde 2015.

O volume representou uma queda de 12,2% na conferência com fevereiro de 2020. A receita, por outro lado, cresceu 10,4%, com US$ 607,9 milhões. O aumento do valor se deve, segundo a Anfavea, ao maior volume de exportações de caminhões.

No reunido do ano, a exportação somou 58,1 milénio veículos, uma subida de 0,2% na conferência com o primeiro bimestre de 2020. Isso representou receita de US$ 1,06 bilhão, subida de 15,9% antes mesmo período do ano pretérito.

[ad_2]

Source link